• Além de acumular perdas, Flores sai de 1.4 para 1.2 na tabela de repasse do FPM

    Além de amargar o decréscimo no Fundo de Participação dos Municípios – FPM, que já soma cerca de R$ 753.702,33 (Setecentos e cinquenta e três mil, setecentos e dois reais de trinta e três centavos), e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb); R$ 329.491,72 (trezentos e vinte e nove mil, quatrocentos e noventa e um reais e setenta e dois centavos); o prefeito de Flores, no sertão do Pajeú, Marconi Santana (PSB) foi surpreendido com a queda do coeficiente para o repasse do FPM que saiu da tabela de 1.4, para 1.2 - que servem como base para que o Tribunal de Contas da União (TCU) calcule o coeficiente do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

     

    O gestor municipal, que também lidera um grupo de prefeitos na região, através do Consórcio de Integração dos Municípios do Pajeú (CIMPAJEÚ), que esperava, agora em novembro, equilibrar as finanças do município que administra, vai ter que apertar ainda mais os cintos para não exceder o limite de 54% da sua Receita Corrente Líquida (RCL), que pode ser gasto com pessoal; cumprir os 15% de investimentos na saúde e os 25% na manutenção e no desenvolvimento da educação.

     

    Na tabela do novo coeficiente de 1.2,k o município sofreu -  no repasse de hoje - uma perda no FPM de mais de R$ 90 mil, na saúde mais de R$ 21 mil e no FUNDEB, mais de R$ 28 mil.

     

    Segundo a Confederação Nacional dos municípios são 135 localidades impactadas com redução do coeficiente e 105 com aumento.

     

    Recentemente, em Brasília, o líder municipalista defendeu em Brasília que o rateio do FPM, não só atendesse o critério populacional, como também, territorial.

     

    “Os municípios precisam manter investimentos no transporte de escolares, enfermos, equipes médicas, dentre outros, embora em alguns, isso possa ser efetivado em pequenos percursos graças as suas poucas dimensões territoriais, enquanto outros necessitam de um dispêndio financeiro maior em razão de sua maior extensão territorial, como é o caso de Flores, que tem uma área de mais 950 km² e está dentro do mesmo coeficiente do FPM, de municípios com semelhança na questão da densidade populacional, porém com uma área territorial muito menor”, lamentou o gestor.

     

    Atônito com a nova realidade financeira do município, Marconi Santana que vem alertando os munícipes, quanto aos cortes iniciais do FPM, com início em setembro e volta a explicar aos moradores que os recursos provenientes do governo federal é a principal receita para tocar os serviços essenciais, pagar fornecedores e honrar com o pagamento com o pagamento da folha de pessoal.

     

    Marconi ainda ressalta que já assinou um decreto, onde reduziu o seu próprio salário e dos secretários municipais em 30% e que novas medidas serão tomadas, quanto à nova realidade financeira do município.

  • Governo credita dinheiro do petróleo e depois estorna; prefeito que gastou vai ter que devolver

    Na manhã de ontem, 23 de outubro, os municípios foram surpreendidos com valores expressivos em conta a título do Fundo Especial de Petróleo (FEP). Segundo a Agência Nacional do Petróleo houve, uma distribuição equivocada do recurso que entrou na conta do Fundo. Além de valores a título do próprio FEP, caiu na conta dos Municípios recursos a título de royalties.


    Na região do Pajeú, prefeitos comemoraram e até chegaram efetuar pagamentos a fornecedores, quando foram surpreendidos com o estorno das cifras em conta e com a notícia, de que vão ter que devolver o dinheiro usado.

         

    Em nota na manhã desta quarta-feira (24), a CNM – Confederação Nacional dos Municípios explica que a distribuição desses dois recursos é totalmente diferente, o primeiro é repartido com todos os entes com base nos coeficientes do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e Fundo de Participação dos Estados (FPE) e o segundo é distribuído apenas para os Estados e Municípios produtores, confrontantes ou que fazem parte da área geoeconômica do local de extração. A ANP ainda nos informou que os estornos daquilo que foi indevidamente creditado serão feitos entre hoje e amanhã.


    Ainda segundo a confederação o erro na distribuição do recurso feita pelo Banco do Brasil. A entidade ressalta que está sempre vigilante e interessada em resolver os problemas que envolvem os Municípios.

  • Disparada do petróleo pode elevar gasolina para R$ 5,80

    Devido à política de preços empregada pela Petrobras – de repasses automáticos das oscilações da cotação do petróleo –, consumidores brasileiros podem sofrer com uma alta adicional de 25% no valor da gasolina ainda este ano. Segundo especialistas na commodity, o barril pode chegar a 100 dólares até o fim de 2018. Mantidos os repasses automáticos, isso poderia elevar o preço médio da gasolina para algo próximo de 5,80 reais o litro.

  • Marilan investe R$ 157 milhões em Pernambuco

    O governador Paulo Câmara assinou, na manhã desta quarta-feira (12.09), um convênio para a instalação de uma fábrica da Marilan em Igarassu, na Região Metropolitana do Recife. A empresa é a segunda maior fabricante de biscoitos do Brasil. A unidade fabril será a primeira do grupo fora de Marília, em São Paulo, sua sede. Com um investimento estimado em R$ 157,8 milhões a empresa irá gerar 190 empregos diretos em Pernambuco.

    "Nosso Estado tem se destacado nessa época de crise, justamente pela capacidade de continuar atraindo empresas. O grupo Marilan é um dos mais tradicionais do Brasil e vai fazer um investimento, muito importante, de mais de R$ 150 milhões aqui em Pernambuco, gerando emprego e renda para a nossa população", afirmou Paulo Câmara.


    O grupo paulista, que já possui um centro de distribuição em Jaboatão dos Guararapes, terá um crédito presumido de ICMS de 85%, previsto no Programa de Desenvolvimento de Pernambuco (Prodepe). A previsão é de que as obras de construção civil iniciem até dezembro deste ano e a operação está prevista para começar em 2020.


    Para Sérgio Tavares, presidente da Marilan, a expansão para a região será fundamental. "É uma decisão que vem sendo amadurecida há muitos anos. Chegamos em Pernambuco por vários fatores, inclusive pelo Estado ser o centro logístico da região Nordeste. A gente vê como uma grande área de oportunidade  e de consolidação do nosso negócio a nível nacional".

     

    Também estiveram presentes à assinatura, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Antônio Mário, o secretário da Fazenda, Marcelo Barros, o diretor administrativo e financeiro do grupo Marilan, Alex Souza, os acionistas José Geraldo Garla e Rodrigo Garla, além de membros do conselho da empresa.

  • Com redução de 23%, o segundo FPM de junho entra nas contas na quarta-feira

    O segundo repasse do Fundo de Participação Municípios (FPM) de junho deste ano será 23,01% menor, em termos nominais, que o valor transferido em 2017. Levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM) calcula que o montante a ser partilhado entre as 5.568 prefeituras, nesta quarta-feira, 20, será de pouco mais de R$ 1,4 bilhão. Isso, considerando a retenção constitucional destinada ao Fundo Nacional da Educação Básica (Fundeb).

    Em valores brutos, incluindo o porcentual do Fundeb, o segundo FPM do mês chega a R$ 1,7 bilhão. Com base no dados da Secretária do Tesouro Nacional (STN), a CNM aponta a redução nominal, sem considerar os efeitos da inflação, em relação ao mesmo repasse ocorrido no ano passado. O valor deflacionado eleva a retração para 25,32%, em comparação com os R$ 2,2 bilhões repassados na mesma época do ano anterior.

    Mesmo com o resultado negativo, a Confederação ressalta estimativa da STN de crescimento de 2,1% no FPM para este mês. A previsão otimista pode ser justificada pelo acumulado de repasses, do início do ano até agora, que apresentou crescimento de 9,05% em termos nominais, e somou R$ 48,4 bilhões. Em 2017, de janeiro ao segundo repasse de junho, os Municípios haviam partilhado pouco mais de R$ 44,4 bilhões. Ao considerar os efeitos inflacionários, a CNM indica crescimento de 6,04%.

  • Petrobras sobe preço da gasolina nas refinarias; o valor do diesel segue congelado

    Depois de cinco reduções seguidas no preço da gasolina, a Petrobras anunciou nesta quarta-feira 30 o aumento do custo do combustível nas refinarias. O reajuste de 0,74% vale a partir desta quinta-feira. Com isso, o preço do combustível saiu de 1,9526 reais para 1,9671 reais.

    O último reajuste tinha sido anunciado na segunda-feira 21, quando teve início a greve dos caminhoneiros. De lá para cá, a companhia realizou cinco cortes seguidos no preço da gasolina nas refinarias.

  • Ministro da Fazenda diz que governo não cede mais

    O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, afirmou nesta segunda-feira ao jornal Bom Dia Brasil, da TV Globo, que não há mais espaço para o governo federal realizar qualquer concessão adicional aos caminhoneiros.

    Na entrevista, o ministro disse que o governo foi ao limite do que é possível ser feito para atender aos manifestantes e, igualmente, respeitar a responsabilidade fiscal e a Petrobras.

    “Fomos até o limite do que era possível dentro do nosso quadro fiscal”, disse Guardia, acrescentando que a solução apresentada atende aos pedidos do movimento, que é a redução do preço do combustível na bomba.

    Questionado se é o contribuinte que vai pagar a queda de R$ 0,46 no preço do diesel, o ministro respondeu: “Exatamente”. Ele afirmou que, obviamente, existe custo para fazer o acordo com os caminhoneiros. “Essa conta está sendo paga com muito sacrifício através do Orçamento Geral da União”, disse Guardia.

  • Ao antecipar pagamento, Marconi destaca compromisso e dedicação de servidores

    Véspera de feriado de 1º de maio, dia do trabalhador; a prefeitura de Flores, através da Secretaria de Finanças e Orçamento pagou na última sexta-feira (27), o salário dos servidores efetivos e cargos em comissão de todas as secretarias da administração municipal.

    O pagamento da Folha de Pagamento – FOPAG, dentro do mês trabalhado e antecipação, em feriados prolongados, faz parte de uma política de valorização dos servidores municipais e de incentivo ao aquecimento da economia local.

    Para o prefeito do município, Marconi Santana, "em tempos de dificuldades financeiras é preciso planejar e aplicar de forma respeitosa os recursos que são do povo; priorizando o pagamento da folha de pagamento e a manutenção dos serviços essenciais em educação, saúde, assistência social e infraestrutura", destacou o prefeito.

    Marconi ainda ressaltou que os servidores municipais tem uma grande parcela de contribuição no bom adiantamento da administração municipal e agradeceu "pelo comprometimento e dedicação".

  • Prefeitura de Flores antecipa pagamento e servidores recebem salários antes do feriado

    Reforçando o compromisso com os servidores públicos municipais e o zelo com recursos públicos, a Prefeitura Municipal de Flores (PMF) se antecipa e vem realizando, desde a última sexta-feira (23), o pagamento dos salários, dos servidores municipais efetivos, comissionados. Já nesta quarta-feira (28), a gestão municipal está assegurando o pagamento da Folha de Pagamento (FOPAG), dos servidores contratados, aposentados e pensionista do Fundo de Previdência de Flores (FUNPREF).

    Dessa forma, antes das comemorações da Semana Santa e Páscoa, todos os profissionais do governo municipal receberão seus salários, antecipados, o que reforça a política de valorização implementada pela atual gestão.

    O prefeito do município, Marconi Santana, destaca que, “são R$ 2 milhões injetados no comércio local”. O gestor municipal ainda ressalta que, “temos esta preocupação efetiva em honrar com os pagamentos dos nossos servidores municipais, que muito tem contribuído para o bom andamento dos serviços públicos. E pensando desta maneira, nos planejamos e estamos antecipando toda folha de pagamento, antes do feriado da semana santa”, garantiu.

  • Ministro justifica apagão com maiores impactos no Norte e Nordeste

     

    Uma falha na linha de transmissão que conecta a hidrelétrica de Belo Monte ao sistema elétrico gerou um blecaute de grandes proporções no Brasil nesta quarta-feira, 21, com maiores impactos no Norte e no Nordeste, mas com desligamentos registrados em todas as regiões do país.

     

    apagão teve início por volta de 15h40, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), e no Norte e Nordeste o fornecimento ainda não estava normalizado até o início da noite. Ficaram sem luz localidades do Amazonas, Alagoas, Pernambuco, Ceará, Sergipe, Paraíba, Rio Grande do Norte, Piauí, Amapá, Pará, Maranhão, Bahia e Tocantins. 

     

    O ministro de Minas e EnergiaFernando Coelho Filho, disse que o chamado “linhão” que leva a energia de Belo Monte do Norte ao Nordeste “caiu” e deu início a problemas em série no sistema elétrico do país.

     

    “Essa linha foi inaugurada recentemente e vinha operando não na sua capacidade total. Houve uma subida de carga, que era condizente com o porte da linha, e a linha ‘saiu’ (de operação). Nós não temos ainda a informação oficial, o ONS está focado em restabelecer o fornecimento”, afirmou ele a jornalistas.

  • Temer sancionará repasse de R$ 2 bi, para as prefeituras

    Após quatro meses de indefinição, o presidente Michel Temer (MDB) irá sancionar o projeto de lei que repassa o Auxílio Financeiro aos Municípios (AFM), de R$ 2 bilhões, na manhã da próxima quarta-feira, 7, em cerimônia com parlamentares e prefeitos, no Palácio do Planalto. Devido ao desgaste dos adiamentos do repasse, as entidades municipalistas receberam o anúncio com reserva, alegando que “a novela só estará encerrada quando o dinheiro estiver na conta”. Pernambuco recebe R$ 98 milhões desse montante para os 185 municípios.

    A verba havia sido anunciada pelo presidente em novembro, como uma forma de socorrer os gestores que precisaram fazer pesados ajustes fiscais para fechar as contas no final de 2017. A promessa de pagar até dezembro, entretanto, não se cumpriu, gerando burburinho entre os prefeitos. Os recursos foram represados até o último dia de dezembro, pela equipe econômica de Temer, que não conseguiu viabilizar o repasse, senão via projeto de lei, obrigando os gestores a esperarem a volta do recesso e a tramitação no Congresso.

    O secretário-geral da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Eduardo Tabosa (PSD), que é ex-prefeito de Cumaru, foi um dos primeiros a receber a notícia. "A partir da sanção é que o presidente pode fazer o pagamento, mas a gente não sabe se vai ser no dia seguinte. O cronograma deve sair nessa cerimônia. Soubemos, pelo projeto de lei, que o recurso deve ser usado em 50% para educação, 30% para saúde e 20% na área social e será depositado nas contas específicas de cada área", afirma. Tabosa avalia que a chegada do recurso, em março, vai ajudar a complementar a renda depois de um mês mais curto. "O Fundo de Participação dos Municípios vai cair muito em março, em relação a fevereiro, por isso esse dinheiro vai chegar em boa hora", explica o secretário-geral. 

    Para o presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) e prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota (PSB), só será possível comemorar alguma coisa quando o dinheiro estiver na conta. "Espero que seja o fechamento desse ciclo, nessa sanção. Só depois é que vem o crédito. Mas a gente fica desconfiado", comenta. Na última terça-feira, a Amupe realizou uma assembleia geral com prefeitos, onde esse assunto esteve em pauta.

  • Pernambuco fecha 2017 com taxa de desemprego em 17,6%, segundo maior resultado do país

    Pernambuco terminou o ano de 2017 com uma taxa de desempregados de 17,6%, o equivalente a 723 mil pessoas. Esse é o segundo maior resultado do resultado do país, de acordo com a  Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) trimestral divulgada nesta sexta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O estado ficou atrás apenas do Amapá, com 17,7%.

     

    O Brasil fechou o último ano com uma taxa 12,7% de desocupados, percentual que equivale a 13,2 milhões de pessoas. O número supera os 11,5% do ano anterior. No 4º trimestre, que vai de outubro a dezembro, o país teve 11,8%, ou seja, 12,3 milhões de desocupados.

     

    No terceiro trimestre, Pernambuco havia sido o estado com a maior taxa de desocupação, com 17,9%, percentual equivalente a 734 mil pessoas. Comparando o terceiro com o quarto trimestre, houve uma redução da taxa – no quarto trimestre, o estado registrou 16,8% de desempregados, o que corresponde a 699 mil pessoas.

  • Prefeitura de Flores anuncia pagamento de janeiro e 1/3 de férias para os professores

    A prefeitura municipal de Flores, mais uma vez, dá o exemplo no quesito: Equilíbrio e competência com as finanças do município e já disponibiliza para saque, os vencimentos relacionados a janeiro do ano em curso, para os servidores do quadro efetivo, lotados nas secretarias de Administração, Finanças, Infraestrutura, Gabinete, Saúde, Bem-Estar Social, Controle Interno, Turismo e Eventos, Procuradoria Jurídica, Educação e Cultura, Agricultura, Esporte e Lazer e Meio Ambiente,

     

    Para os profissionais em educação, além de garantir o Piso Nacional do Magistério, a administração municipal, paga a folha de janeiro, já com o 1/3 (terço), de férias, que se estendeu, também, para os servidores lotados nos 40%.

     

    Com o pagamento dos servidores, a Prefeitura de Flores, injeta na economia local, R$ 939.930,06 (novecentos e trinta nove mil reais, novecentos e trinta reais e seis centavos).

     

    Para o prefeito Marconi, “essa é uma das prioridades máximas de nosso governo: Adotarmos sempre a boa conduta com os recursos que chegam até nós, para que as finanças e o funcionalismo público de nossa Flores esteja sempre em dia”, pontuou.

  • Falta de chuva pode elevar em mais de 10% a conta de luz

    A falta de chuvas de 2017 vai pesar no bolso dos consumidores em 2018. Após um ano com um volume de afluências abaixo da média, que levou a um elevado consumo de energia a partir de usinas térmicas, mais caras, a tarifa de luz deve subir em um ritmo maior neste ano.

    E isso mesmo considerando que o atual período chuvoso, iniciado em novembro, tem se mostrado mais favorável. As projeções variam, mas os reajustes das tarifas de energia devem superar os 10%, em média. Uma parcela significativa desse reajuste vem do aumento do custo da energia, pressionado pelo déficit hidrológico (GSF), estimam especialistas.

  • Reajuste do Piso do Magistério: Impacto será de R$ 4,5 bilhões

    Diante do anúncio do reajuste de 6,81% do Piso do Magistério, previsto para 2018 e com valores acima da inflação, o impacto do aumento nos Municípios brasileiros será de R$ 4,537 bilhões. O estudo foi feito pela CNM – Confederação Nacional dos Municípios. 

    O anúncio do reajuste foi feito na quinta-feira, 28 de dezembro, pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, por meio da publicação da portaria 1.595/2017. O percentual divulgado pelo governo federal confirma o cenário de mais peso sobre as finanças municipais.  O cálculo adotado pela União foi estabelecido de acordo com a Lei 11.738/2008.

     

     

    Pela Lei, esse reajuste deve ser concedido em janeiro e os valores consolidados do Fundo somente são conhecidos em abril do ano seguinte. Assim, seguindo o critério da legislação vigente, o valor do piso para o exercício de 2018 será de R$ 2.455,35.

  • Prefeitura de Flores termina 2017 com todas contas pagas, montante chega a R$ 4 milhões

    A prefeitura municipal de Flores segue dando exemplo de responsabilidade e compromisso fiscal com a administração pública do município. A gestão Marconi Santana está se consagrando como modelo de gestão na região do Pajeú no quesito ‘Equilíbrio Fiscal’.

    Desde a primeira quinzena deste mês de Dezembro, a prefeitura iniciou o o pagamento provenientes da máquina pública. Denotando assim o forte compromisso do governo florense com as pessoas que trabalham e, colaboram com a construção de uma nova Flores, já que esse é um dos lemas do prefeito Marconi Santana.

    Com um montante de mais de R$ 4 milhões, fornecedores, efetivos, comissionados, contratados, inativos e os trabalhadores da frota de transporte escolar municipal, com certeza irão passar suas festas de fim de ano com suas contas em dia, tal como a prefeitura, que demonstrando ter a capacidade de manter as contas públicas e o equilíbrio financeiro da cidade em ordem, também atravessará um 2017 com muita transparência.

    Marconi Santana, em alguns discursos seus, já havia declarado que, “saber trabalhar o dinheiro público seria uma das prioridades de seu governo”. E é fato, que não se pode negar que o mesmo vem de forma racional e eficaz colocando isso em prática, pois sua gestão liquidou, por este ano, absolutamente tudo.

  • Petrobras anuncia reajuste de 1,7% no preço da gasolina, a partir desta sexta-feira (29)

    A Petrobras anunciou um novo reajuste para os combustíveis, com aumento de 1,1% no preço do diesel nas refinarias e de 1,7% para a gasolina. Os novos valores valem a partir da sexta-feira, dia 29. 

    A nova política de revisão de preços foi divulgada pela petroleira no dia 30 de junho. Com o novo modelo, a Petrobras espera acompanhar as condições do mercado e enfrentar a concorrência de importadores. 

     

  • Empresa suíça Ruag investirá 15 milhões de euros em Pernambuco

     
    O governador Paulo Câmara assinará, nesta sexta-feira (15.12), um protocolo de intenções junto à diretoria da Ruag Indústria e Comércio de Munições Ltda para a abertura da fábrica em Pernambuco - primeira da empresa no País. Com um investimento de 15 milhões de euros (cerca de R$ 58,5 milhões), a empresa suíça, que ainda não definiu o local onde o empreendimento será erguido, deve criar, inicialmente, 40 empregos diretos no Estado.

    A Ruag pretende iniciar a produção de munição de armas pequenas em Pernambuco gerando, no início, vendas totais de US$ 10 milhões por ano. Os produtos serão vendidos para forças policiais, empresas de segurança e atiradores de esportes licenciados em todo o país, seguindo as diretrizes estritas da legislação respectiva e um regime interno rigoroso quanto à conformidade e um código de conduta.

    Fundada em 1995, a Ruag é uma empresa aeroespacial e de defesa que gerou uma receita total de US$ 1,8 bilhão com 8,7 mil funcionários espalhados em 2016 pela Suíça, Alemanha, Suécia, Finlândia, Áustria, Hungria, Austrália e Estados Unidos. O grupo, legalmente constituído no Brasil desde 2011, está ligado internacionalmente a vários parceiros tecnológicos, como a Airbus, Bombardier, Boing, KMW, Northrop Grumman, Rheinmetall, Saab e a European Space Agency (ESA).
     

  • Temer voltar a prometer R$ 2 bi. Mas, pede ajuda aos prefeitos na reforma da Previdência

    Em mais uma agenda da mobilização permanente em Brasília, o presidente da República, Michel Temer, recebeu cerca de 300 prefeitos. Liderados pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) e pelas entidades estaduais municipalistas, os gestores reforçaram ao governo federal as demandas prioritárias das administrações locais.

     

    A audiência ocorreu na manhã desta quarta-feira, 13 de dezembro, no Palácio do Planalto, e Temer garantiu que os Municípios terão o Apoio Financeiro aos Municípios (AFM) ainda neste mês. Entre as pautas ressaltadas a Reforma da Previdência.

     

    Na ocasião, Temer garantiu que os Municípios vão receber o AFM ainda neste mês de dezembro. “Eu quero reafirmar aqui que os R$ 2 bilhões aos prefeitos serão depositados até o final de dezembro”. O presidente da República justificou dizendo que a liberação do valor só será possível, pois “nós conseguimos fazer a economia crescer, por isso foi possível liberar esses R$ 2 bilhões aos prefeitos, para os eles também fecharem suas contas”.

     

     Temer afirmou que é urgente um novo pacto federativo que redistribua os recursos entre União, Estados e Municípios, mas, enquanto isso não acontece, ele afirmou que o governo deve continuar o apoio aos Municípios. “Se a economia continuar a crescer, vamos repetir ou aumentar a dose para o ano que vem”, garantiu.

     

    Para que a Reforma da Previdência seja aprovada, Temer solicitou e enfatizou a importância do apoio dos gestores municipais. “Eu peço que os senhores comecem a manter contato com os parlamentares para que votem a Reforma da Previdência. Na certeza que depois da reforma ainda faremos uma reforma tributária mais justa”, pediu.

     

     

  • Santana, André Rio, Irah, Assisão, Rouche, Maciel e Forró no fim de ano em ST

    A Prefeitura de Serra Talhada, por meio da sua Fundação Cultural, divulgou nesta segunda-feira (11), a programação oficial das festividades natalinas que acontecerão em quatro polos da cidade: Patamar da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha, Concha Acústica, Estação do Forró e Pátio da Feira Livre.

    Com o tema “Um Natal de Amor no Coração do Sertão”, a programação terá abertura no domingo, 17 de dezembro, às 19h, com o acender das luzes e o espetáculo Uma História de Amor no Coração do Sertão, no Patamar da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Penha, onde a programação seguirá nos dias 24, 25 e 31 de dezembro. No dia 24/12 tem Concerto Musical Novo Horizonte, do Centro Espírita, e o espetáculo Mundo Mágico do Papai Noel; no dia 25/12 tem Aula Espetáculo Mistura Pernambucana e no dia 31/12, Grupo Poético Musical Cristaleira de Triunfo.

    Na Concha Acústica a programação acontecerá de 22 a 24 de dezembro com um Tributo a Virgolino dentro do Vem Pra Concha de Natal. Se apresentarão as atrações culturais: As Severinas, Assisão, Roberta Aureliano e Banda, Eronildes Nogueira, Marquinhos do Arcodeom, Coco de Umbigada, Adiel Luna, Ivaldo Nogueira, Humberto Celllus, Coco Popular Aliança, Naldinho Carvalho, Arnor de Lima e o Grupo de Xaxado Cabras de Lampião.

    As festividades natalinas contam ainda com o “Festival Ser Tão”, que acontecerá de 27 a 31 de dezembro na Estação do Forró e no Pátio da Feira Livre. No festival se apresentarão grandes nomes como André Rio, Santanna, Maciel Melo, Targino Godim, Irah Caldeira, Nena Queiroga, Assisão, Almir Rouche, Raphael Moura e Quinteto Violado, Nádia Maia, Rai de Serra, Cezinha, Trio Nordestino, Maestro Forró, entre outros.